Apresentação

 

Não nasci para isto: na escola, odiava os dias de corta-mato e, na equipa de futebol, era defesa esquerdo e só queria ver a bola lá longe, com o extremo direito. Correr? Só os 100m e descansar a seguir. Convenci-me de que não era feito para correr. Quase anos mais tarde, no ginásio, comecei a substituir os “dias de perna” (custam!) por corridas na passadeira; não fazia o mesmo efeito, mas era alguma coisa. Pela mesma altura, descobri no telemóvel da mulher a app Nike Running. Por curiosidade em ver aquilo funcionar, corri e, depois de algumas centenas de metros, rastejei, de telemóvel na mão, para ver o mapa do percurso, a altimetria, a distância e a variação na velocidade. Achei engraçado, mas doíam-me os pés, os tornozelos, as canelas, os joelhos e por aí fora, até ao pescoço e fiquei arrumado quase uma semana. Irritou-me não conseguir fazer o que tantas pessoas (muitas delas mais velhas, ou mais pesadas), fazem com prazer.

Comecei a visitar sites com dicas para iniciantes (com planos de treino tentadores para a transição “do sofá aos 5 Km”), a entusiasmar-me em fóruns, a ver grandes momentos do atletismo português no YouTube e, quando dei por mim, estava a fazer os tais 5 Km com regularidade, sentindo cada vez menos cansaço a cada saída para a ciclovia. Fui aumentando as distâncias e, no final de 2016, fui desafiado a participar numa corrida. Fiz o que seria impensável há escassos meses e, a partir do momento em que cortei a meta, percebi que estava só a começar…

Hoje, sete meses mais tarde e com três “meias” nas pernas, só penso em quantos dias faltam para a próxima corrida… a Maratona de Bruges… e o que se seguirá.

Fiquei “agarrado” ao running (não gosto da palavra, prefiro corrida…) há pouco tempo, por isso sei que há ainda muito para descobrir. Como gosto de escrever mas não tinha experiência em gerir blogues, abri este cantinho para aprender algo de novo e me divertir um pouco. Conto partilhar experiências relacionadas com o mundo da corrida: os treinos, o equipamento, as provas e suas peripécias, o convívio e amizades, e talvez algo mais que me venha à cabeça. Se conseguir inspirar alguém a correr (ou correr mais), dar a conhecer algum acessório útil, ou a despertar a curiosidade para novos percursos e corridas, óptimo!

Obrigado pela visita!

Comments are closed.